FacebookTwitterGoogle+Linkedin
Biscoito da Sorte
Aceita um biscoito da sorte? É só clicar e descobrir a surpresa que tem dentro dele pra você!
X
"Apesar disto, resta-nos o advento da trajetória adulta. Finalmente, a maturidade! Agora, sim, é chegado o instante de acelerar em direção à linha do horizonte e competir com chances iguais com todos os outros para realizarmos os nossos sonhos mais lindos!". Seria esta a minha fala se a citação anterior suportasse uma pronúncia com uma categoria de verossimilhança um pouco mais alta, caso não fosse encargo sine qua non e urgente meter-se em busca do preenchimento das lacunas didáticas remanescidas da fase primária da jornada do rebento que não foram supridas – nem sequer em seus alicerces básicos – pelos responsáveis naturais no momento oportuno. Nada obstante, são apenas alguns milhões de quilômetros de diferença que se pode suplantar em algum tempo e, um dia, chegar lá. Bastam algumas décadas e pimba! É só correr pro abraço!

Antes tarde do que nunca. Eu li num livro de autoajuda que um cara foi iniciar a faculdade de medicina aos oitenta e quatro anos de idade. Se ele pode, você também pode. Foi o que o autor da obra disse. E ele é PHD, viu?

E para quem não é do tipo apetecido pela erudição, fica a dica de um menu espiritual com opções fresquinhas que podem ser uma excelente pedida. "Tá daqui, ó!". Tem igreja pentecostal, terreiro de macumba, centro mesa branca, templo Hare Krishina e muito mais! Pra todos os gostos e bolsos. É só escolher e pedir.Clicando aqui, você lê o texto completo
X
A ex-mocinha, logo, dirigiu-se até a saída, esbugalhou os seus olhos acarminados e tomou-me como alvo pela última vez, berrando com classe e doçura:

– Seu aleijado! Não esquece a sua muleta, seu aleijado! – Sendo irônica, é claro, pois não tenho nenhuma deficiência física.

O que terá sido a simpática matusalém nos idos da longínqua década de setenta? Uma generosa prostituta ou uma delatora de complacentes militantes políticos da esquerda comunista? Talvez...

E, na idade fragilizada, quando chega a hora dos maus pagarem por seus erros e dos bons estarem espiritualmente evoluídos a ponto de não se deixarem atingir, ela é uma senhora imunizada.
(Trecho da crônica "Orgulho de uma sociedade que respeita as minorias e os mais fracos")
Clicando aqui, você lê o texto completo
X
As semanas que se sucederam escorreram como areia entre os dedos. Recobrada sua conduta socialmente aceitável, rapidamente, o dia da bizarrice foi completamente esquecido pelos executivos. A repetição de suas maneiras normais, salvaguardou o apreço que mantinham por ele.

Novos projetos de trabalho vieram ao escritório. Conhecedor que agora era de seu íntimo, quis ir além de seus atributos como líder do departamento de propaganda. Empolgado, recebeu autorização para realizar tarefas de campo, desviando-se de sua função.

Chamou a atenção da revista Piacgazdaság o crescente turismo de Budapeste. Uma onda excursionista, principalmente oriunda da Sérvia, da Romênia e de outros países convizinhos do leste europeu, tomou conta da Hungria. Uma reportagem acerca deste fenômeno mercadológico seria publicada e ele, investido na fase atual de sua carreira, assumiu a dianteira, e foi entrevistar o presidente da empresa promotora de eventos responsável pela ascensão deste nicho.Clicando aqui, você lê o conto completo
X
O trânsito de São Paulo estava aquela maravilha de sempre. E eu, morrendo de vontade de fazer o que mais ninguém pode fazer por mim…

– Senhor, eu preciso tirar água do meu joelho, vou aproveitar que está tudo parado e ir naquele jardinzinho ali.

– Vai lá, meu caro, porque por mais que seja grande a sua força de vontade, o universo não trará um banheiro até você.

Comecei a forçar o trinco da porta do Fusca, que parecia emperrada.

– Vai! Com força e pra cima!

– É isso aí, senhor Bom Sucesso!

– Ahahahaha… não se empolgue, moço. Estou referindo-me ao trinco. Você está mesmo fissurado nesse livro. Que dó de você…Clicando aqui, você assiste ao vídeo com animação gráfica
X
Cansou de dançar ciranda
E resolveu montar uma banda
Comprou uma bateria
E aprendeu como se batia.

Arrumou uma mina
Abandonou o banheiro
Dizia ser sua sina
Ter virado maconheiro.
(Trecho do filme "Abram os ouvidos, o baterista sumiu")
Clicando aqui, você assiste ao filme
X
Quer beber água quem comeu sal
Já lancei uma pá de cal.

Sobre tudo o que passou
Meu time nunca marcou gol
Não tenho time nem guarda-sol
Odeio crimes e futebol.
(Trecho da letra da música "Cavernas do Coração")
Clicando aqui, você ouve a música